10 soluções para 5 problemas comuns no faturamento hospitalar

Analisando a estrutura organizacional de um hospital, o departamento do faturamento hospitalar é uma das áreas essenciais para o funcionamento das organizações de saúde, sejam elas clínicas, laboratórios ou hospitais.

Por se tratar de algo vital, capaz de parar o trabalho de colaboradores e consequentemente atrapalhar tratamentos de pacientes, torna-se um setor com alta complexidade. Um pequeno erro pode trazer consequências difíceis, mas não irreversíveis.

Pensando nisso, listamos 10 soluções para 5 problemas comuns no faturamento hospitalar para te ajudar a eliminar problemas em sua rotina.

Problema 1: Perda de prazo de envio do Faturamento Hospitalar

Durante a execução das atividades rotineiras de uma equipe hospitalar, é comum surgirem imprevistos e demandas extras. Consumindo tempo das agendas, podem gerar atrasos ou até mesmo perda de prazos.

Uma solução boa para evitar o problema é colocar em prática uma agenda assertiva. Seguir à risca o planejado semanalmente é fundamental para evitar gargalos nas instituições. Apesar de ser algo difícil de colocar na prática, o esforço vale a pena.

Outra solução é adoção do uso de checklists personalizados para maior organização e controle pessoal.

Ao adotar essa ferramenta no seu dia a dia, se consegue acompanhar em tempo real o que falta para finalizar as atividades programas do dia a dia.

Além, é claro, de estimular sua produtividade. Uma vez em que colocar um check ou riscar todos os tópicos acaba sendo sua prioridade para encerrar seu dia/semana sem nenhuma pendência.

Problema 2: Tabelas de faturamento hospitalar desatualizadas

Um item que tem sofrido atualizações recorrentes cada vez mais são as tabelas de precificação.

Isso porque, para manter uma relação justa entre prestadores e operadoras, criou-se comum o hábito de negociações dos dois lados.

Como a economia do país não anda muito estável, essa variação influencia o aumento de preços em geral e isso repassa para os serviços.

Uma solução para evitar a perda da troca de tabelas é acompanhar anualmente o Painel de Precificação de Planos de Saúde da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar).

Através dele dá para acessar relatórios que apresentem os índices de custos por item, itens mais comprados, variação média dos reajustes e entre outros.

Uma segunda solução mais prática e inovadora é a implantação de soluções de automação.

Tabelas:

  • Simpro;
  • Brasindice;
  • CBHPM;
  • AMB;
  • THSM;
  • TASA;
  • TGA.

Podem ser atualizadas automaticamente através do uso de algumas ferramentas.

 Problema 3: Indicadores inconsistentes

A prática de processos manuais ainda é algo muito presente na rotina de muitos hospitais. A escolha de não automatizá-los dificulta ter indicadores mais exatos e precisos.

Para resolver esse problema, uma solução interessante é a revisão dos processos, se atentando principalmente a leis e normas da área que podem ter sido atualizadas desde o último mapeamento realizado dentro da instituição.

Em sequência, uma ação bastante recomendada para que o mapeamento não tenha sido em vão é a implantação e automatização dos processos.

O próximo passo então será o treinamento do pessoal e por fim a implantação dos indicadores.

Lembrando, é claro, que para bom uso e acompanhamento desses indicadores é necessário uma supervisão de gestores e líderes.

Problema 4: Equipe Desmotivada

Muitas vezes estar dentro da rotina pode não ser muito legal para algumas equipes. Isso porque muitos colaboradores sentem perder seu valor e consequentemente a motivação.

Ninguém gosta de ser mais um simples número de funcionários.

Todos possuem suas individualidades, personalidades e habilidades para serem reconhecidos como diferenciais dentro da organização.

Deixar esses três pontos caírem no esquecimento devido a correria do dia a dia pode ser um grande erro.

Os colaboradores não veem sentido para se motivar e se esforçar para entregar serviços de maior qualidade.

Uma solução para trazer de volta a motivação de seus funcionários é a implementação de uma comunicação clara e padronizada.

De primeira impressão parece ser uma solução não muito eficaz já que o quadro de funcionários é bem diversificado, seja pela sua formação acadêmica ou mesmo cultural.

Entretanto, uma comunicação bem feita tem a função de informar, encantar e fidelizar aqueles que participam dessa relação.

Outra solução eficaz é uma melhor gestão em cima das equipes, pois ao se sentirem mais gerenciados pode criar um sentimento de pertencimento à organização.

Como se ele fizesse diferença em integrar aquele time, como se realmente enxergassem a existência dele.

Assim, os profissionais sentem vontade de retribuir e ajudar a construir uma história de maior qualidade na instituição.

Problema 5: Desperdício de insumos

Uma má organização na hora de realizar um planejamento contábil pode gerar muitos problemas infelizes como a falta ou o desperdício de certos insumos. Algo tão prejudicial quando colocado na ponta do lápis.

Para evitar esse problema, uma solução fácil de ser adotada são possíveis soluções que unem as entradas e saídas do caixa.

Através dessa automatização consegue-se perceber o que pode estar gerando despesas desnecessárias para quem sabe utilizar esse dinheiro como investimento em outra área do hospital.

Uma segunda solução é a aplicação da metodologia do 5S. Segundo a metodologia desenvolvida no Japão, adquirimos uma capacidade de se adaptar em diferentes realidades por meio do senso de utilização, de organização, limpeza, padronização e saúde, disciplina e autodisciplina.

Ao se aplicar cada senso, consegue-se entender suas despesas e descartar os itens desnecessários em seu orçamento.

Pode ser que tenha muito mais verba sendo usada sem necessidade.

 

E aí, o que achou? Sentiu que esse conteúdo te ajudou de alguma forma?

Comente aqui abaixo!