Gestão hospitalar integrada: o que é os primeiros passos para o sucesso

O nome parece complexo, mas adotar métodos de gestão hospitalar integrada pode ser mais fácil do que você imagina.

E o melhor os resultados da sua instituição podem melhorar bastante e é isso que vamos te mostrar ao longo deste artigo.

Mas antes é necessário que você entenda um pouco sobre a gestão de um hospital. Vamos lá?

Como funciona a Gestão Hospitalar?

De forma direta, a Gestão Hospitalar pode ser comparada com a administração de uma empresa, onde o gestor precisa estar atento a todos os departamentos.

Mas no caso do setor hospitalar ,o assunto é um pouco mais complexo, primeiro por se tratar de vidas, logo o gestor precisa estar atento também a todo o processo hospitalar.

O Guia de Carreiras listou alguma das atribuições desse profissional, entre elas estão:

  • Supervisionar o desempenho das questões burocráticas e administrativas;
  • Organizar processos de compras e controles de custos;
  • Acompanhar e supervisionar contratos e convênios de Saúde;
  • Gerenciar equipes de trabalho;
  • Identificar prioridades de serviço e ações inovadoras.

O perfil do Gestor Hospitalar

Como este profissional precisa estar ligado às diversas etapas do processo hospitalar, a primeira característica de um gestor é que ele esteja minimamente disposto a buscar novos conhecimentos.

Para atuar como um gestor hospitalar na maioria dos casos espera-se uma formação acadêmica, seja como Tecnólogo em Gestão Hospitalar ou Administração com especialização em Administração Hospitalar.

Para que isso fique mais claro, no vídeo abaixo você pode acompanhar a fala da Shirley Berti, Gestora de Saúde, onde é discutido o papel deste profissional.

Gestão Hospitalar Integrada – o que é?

Agora que você já conhece um pouco mais sobre a gestão hospitalar e o papel de um gestor em uma instituição de saúde, podemos falar sobre como funciona a gestão hospitalar integrada.

Acima listamos algumas das atribuições de um gestor e tudo que ele precisa administrar para manter o funcionamento de um hospital. Agora, para que os processos entre as diversas áreas conversem entre si, e tudo funcione como uma engrenagem, é necessário apostar em uma gestão hospitalar integrada.

Acompanhe comigo o seguinte exemplo:

  • A equipe médica utiliza um sistema de prontuário eletrônico “X”
  • Já a enfermagem e a farmácia utilizam um sistema de receituário “Y”
  • A equipe de faturamento colhe as informações de um sistema “Z”

Imagina transferir todas essas informações entre sistemas, estando suscetível a falhas e perda de informações?

Então gestão hospitalar integrada é todos os departamentos utilizarem o mesmo sistema?

Não!

Não se trata disso. Estarem todos “falando a mesma língua” é importante, mas existem soluções que são essenciais e que às vezes o seu ERP não irá te fornecer, pois talvez ele não seja especialista nisto.

É justamente aí que entra em ação seu departamento de TI, mas isso falaremos logo adiante, por isso acompanhe a leitura.

Tipos de Gestão Hospitalar

O papel do gestor hospitalar é acompanhar cada departamento em uma visão macro, os líderes e gerentes de cada área que são responsáveis pela visão micro de cada etapa.

Por isso, listamos alguns dos tipos de gestão ou áreas de atenção para a administração hospitalar.

Gerente de Controle de Sinistro

Aquele profissional que trabalha em conjunto com os planos e convênios, acompanhando suas coberturas e áreas de atuação.

Gerente de Hotelaria Hospitalar

Responsável por gerir os leitos de um hospital, acompanhar a rotatividade, preza pela devida ocupação e tempo de estadia.

 Coordenador de Estoque Hospitalar

Irá acompanhar a utilização de materiais e insumos, desde os materiais cirúrgicos até os equipamentos de manutenção predial.

Gestor de Equipe e Captação Médica

Responsável pela captação de talentos, capacitação e apoio profissional, para que você possa compreender sua atuação, este departamento pode se aproxima de um departamento de recursos humanos.

Mas afinal, qual o objetivo da Gestão Hospitalar Integrada?

Unificar as etapas de um processo hospitalar entre a “Área Clínica” e os “Departamentos Administrativos” está entre os objetivos deste modelo de gestão.

Gerir recursos de forma satisfatória a fim de evitar perdas garantindo a qualidade dos atendimentos, também é um dos objetivos da gestão hospitalar integrada.

Podemos listar outros objetivos que movem esta gestão:

  • A ocupação correta de leitos e salas de cirurgias;
  • Controle de custos operacionais;
  • Destravar negociações pendentes;
  • Entregar informações necessárias a cada setor;
  • Garantir a satisfação do paciente.

E tudo isso não é possível somente com um sistema unificado ou que tenha integração com outros sistemas, mais isso também ajuda.

Em entrevista para o Portal Saúde Business Americo Rodota, Diretor de negócios Agfa HealthCare, destaca o desafio de aderir a uma gestão integrada:

“O maior desafio é cultural, pois a entrada da tecnologia no hospital exige mudanças de processos. Fora isso, é um movimento que deve ocorrer gradativamente, especialmente quando falamos de sistema de gestão hospitalar integrada”

Tecnologia aliada na Gestão Hospitalar Integrada

Até aqui acredito que já esteja claro para você que é um pouco complicado adotar a gestão hospitalar integrada sem o apoio de uma solução tecnológica.

Porém, o que queremos destacar nesta etapa é a importância de ter como parceiros neste processo sua equipe de TI, pois são eles quem te auxiliaram a utilizar sua solução da melhor forma possível.

Seja qual for o porte da sua instituição, você ainda encontrará “funções desconhecidas” no seu ERP, é aí que sua equipe de TI saberá explicar e validar seu uso.

Estes são alguns motivos para estreitar o relacionamento com estes profissionais e incluí-los nas decisões entre departamentos, afinal será muito mais fácil a implementação de novas tecnologias.

Vantagens de se aplicar a Gestão Hospitalar Integrada

Existe um longo caminho para trilhar até conseguir um hospital 100% operando em modelo de gestão integrada, onde os departamentos conversam entre si.

E você pode começar por um sistema básico de recepção e emissão de senhas conversando com o sistema de triagem, assim você tem o controle da quantidade de pacientes em espera.

Logo, você poderá implementar novas etapas até alcançar a maior parte possível de um hospital, até garantir que as informações estejam disponíveis de ponta a ponta do atendimento e pós-atendimento de pacientes.

Você verá que os ganhos são inúmeros, confira:

  • Precisão na troca de informações entre equipes;
  • Agilidade nos atendimentos;
  • Diminuição de falhas humanas;
  • Melhor utilização e recursos;
  • Visualização de resultados em número sendo possível criar metas;
  • Segurança na proteção de dados;
  • Diminuição de espaço físico para arquivos;
  • Satisfação de pacientes.

Estes são alguns dos diversos benefícios atrelados a um sistema de gestão hospitalar integrado.

Certamente você precisará adaptar processos e encontrar sistemas complementares que te apoie em outras funções. Uma solução que atenda o controle de emissão de resultados de exames e que porventura seu ERP não seja especializado, é um exemplo disso.

Logo, surge também a questão com a gestão de glosas médicas que é fundamental para o faturamento hospitalar. Afinal de contas, um sistema de gestão integrada faz com que nada se perca durante o processo, nenhum procedimento deixe de ser lembrado pelo faturamento.

É justamente neste momento que você precisa garantir também a eficácia na emissão de lotes de faturamento diminuindo as falhas com toda questão burocrática nesta etapa. Para isso você precisará contar com uma solução que além de garantir esta eficácia nos faturáveis também converse com seu sistema de gestão, nessa etapa a integração entre sistemas pode ser importante.

Por isso conheça também o Zero Glosa, uma solução capaz de diminuir os trabalhos manuais na identificação de glosas hospitalares através da automatização. Com ele você pode reduzir custos operacionais e garantir que que itens no seu faturamento não passem despercebidos, aumentando assim a exatidão dos itens faturados e gestão de glosas.

Além disso, o Zero Glosa facilita sua gestão com a emissão de relatórios que identificam os departamentos com maior índice de glosas, gerenciamento de prazos de envio e recebimento de recursos, entre outras funcionalidades.