Mulheres em TI: desafios é tema de evento em empresa de tecnologia

Time de mulheres da ZG Soluções comanda evento especial para o dia das mulheres
Time de mulheres da ZG Soluções comanda evento especial para o dia das mulheres

O setor da tecnologia é um verdadeiro laboratório que comprova: ainda estamos longe da paridade de gênero no mercado de trabalho.

Visando valorizar as mulheres nesse setor, a ZG Soluções, empresa goiana que desenvolve softwares para gestão hospitalar, realizou, no dia 8 de maio, o ZG MVP – Edição Dia da Mulher.

Tudo feito e comandado por elas.

Na ocasião, foram ministradas palestras sobre: apresentações de impacto; competências de um competente; relacionamento com o cliente; um workshop de Inteligência Artificial, além de uma roda de conversa sobre a experiência feminina no mercado de TI.

“O machismo no ambiente de trabalho em geral é tão comum que às vezes nem percebemos nossa postura”, disse um dos homens presentes.

 

Preconceito é recorrente

Recentemente, uma pesquisa feita pelo Yoctoo, consultoria de recrutamento especializada na seleção de profissionais de TI, mostrou que 82,8% das mulheres entrevistadas disseram já terem sofrido algum tipo de preconceito em seus trabalhos.

Além disso, elas sentem que as empresas ainda fraquejam no tocante a políticas de inclusão.

Já que o setor é predominantemente masculino, 42% afirmaram ainda que a todo tempo precisam provar suas competências.

Exemplo disso está no relato da doutora Lucília Ribeiro, com larga experiência em Sistemas Operacionais, Linguagens de Programação e Inteligência Artificial.

Durante seu workshop na ZG ela contou que, certa vez, ao ser enviada pela empresa em que trabalhava para instalar a automação em um banco, o gerente se negou a deixá-la manusear as máquinas por desconfiar de sua competência.

Seu chefe, no entanto, afirmou que Lucília era a única da empresa que recebera o treinamento. Lucília solicitou pedidos formais de desculpas e, só depois disso, retornou ao banco.

Já a executiva de negócios Katia Venancio, relatou que, num evento do ramo hospitalar, um cliente negou-se a pegar seu contato. Ele queria um homem.

“É comum que, no ambiente do trabalho, a mulher tenha que se portar de uma maneira mais “masculinizada” para ser respeitada” disse Elma Diniz, Analista de Implantação, ao relatar a postura que sua irmã mais velha adota em seu trabalho.

E compara: “os homens não passam por isso. Já nós temos sempre que pensar em nosso comportamento. Se for muito firme: é grossa. Se for mais gentil: é “mulherzinha” demais, não vai dar conta.”


A ZG Soluções


A ZG Soluções é sediada em Goiânia e foi a primeira empresa no Brasil a criar um sistema nacional de controle de contas hospitalares. Atualmente, está presente em 18 estados de todas as regiões do país.